Categories: Notícias

Ex-capitã do futebol feminino do Afeganistão aconselha jogadores a queimar uniformes e excluir fotos

A ex-capitã do time de futebol feminino afegão pediu aos jogadores que excluam as redes sociais, apaguem suas identidades públicas e queimem seus uniformes para sua segurança, agora que o país está novamente sob o domínio do Taleban.

Khalida Popal, de Copenhague, disse à Reuters em uma entrevista em vídeo na quarta-feira que os militantes mataram, estupraram e apedrejaram mulheres no passado e que as jogadoras de futebol temem o que o futuro reserva.

A cofundadora da liga afegã de futebol feminino disse que sempre usou sua voz para encorajar as jovens “a se manterem firmes, ousadas, visíveis”, mas agora ela tinha uma mensagem diferente.

“Hoje estou ligando para eles e dizendo: anotem seus nomes, removam suas identidades, retirem suas fotos para sua segurança. Até eu estou dizendo a eles para pegar fogo ou se livrar do uniforme da seleção nacional ”, disse ela.

“E isso é doloroso para mim, para alguém como ativista que se levantou e fez todo o possível para conquistar e conquistar essa identidade como jogadora da seleção feminina.

“Para ganhar aquele distintivo no peito, para ter o direito de jogar e representar o nosso país, quanto nos orgulhamos.”

Durante seu governo de 1996 a 2001, o Talibã impediu as mulheres de trabalhar. As meninas não podiam ir à escola e as mulheres tinham que usar burcas para sair, e somente quando acompanhadas por um parente do sexo masculino.

Aqueles que quebraram as regras às vezes sofreram humilhações e espancamentos públicos pela polícia religiosa do Taleban.

O Taleban disse recentemente que respeitará os direitos das mulheres dentro da estrutura da lei islâmica.

Popal disse que o futebol permite que as mulheres defendam seus direitos e desafiem aqueles que desejam que sejam silenciadas.

“Eles estão com tanto medo. Eles estão preocupados, eles estão com medo, não só os jogadores, mas também os ativistas … eles não têm ninguém a quem recorrer, buscar proteção, pedir ajuda se estiverem em perigo ”, disse ela sobre a situação agora.

“Eles têm medo de que a qualquer momento a porta seja batida.

“O que estamos vendo é um país em colapso”, acrescentou ela. “Todo o orgulho e felicidade de estar lá para capacitar mulheres e homens do país é como se tivesse acabado de ser desperdiçado.”

Um porta-voz da FIFA disse que o órgão dirigente do futebol mundial compartilha “preocupação e simpatia com todos os afetados pela evolução da situação.

“Estamos em contato com a Federação de Futebol do Afeganistão e outras partes interessadas e continuaremos monitorando a situação local e oferecendo nosso apoio nas próximas semanas e meses.”

Em uma época de desinformação e muita informação, jornalismo de qualidade é mais crucial do que nunca.
Ao se inscrever, você pode nos ajudar a contar a história da maneira certa.

INSCREVA-SE AGORA

GALERIA DE FOTOS (CLIQUE PARA AMPLIAR)

.

Artigos recentes

Samurai Blue é recebido como herói no retorno da Copa do Mundo no Catar

Narita, Chiba Pref. – A seleção nacional de futebol do Japão voltou para casa na…

5 horas ago

Governo alerta agricultores sobre aumento acentuado de casos de gripe aviária

Os casos de gripe aviária no Japão estão aumentando em um ritmo mais rápido do…

6 horas ago

Alemanha prende 25 suspeitos de conspiração de extrema-direita para derrubar Estado

Berlim – Autoridades alemãs detiveram na quarta-feira 25 membros e simpatizantes de um grupo de…

7 horas ago

Vice-chefe da Assembleia em Tokushima é preso por vazamento de informações policiais

Osaka – A polícia prendeu o vice-presidente de uma assembléia municipal na província de Tokushima…

7 horas ago

Rastreador COVID-19: Tóquio registra 14.946 novos casos de coronavírus

Tóquio confirmou 14.946 novos casos de COVID-19 na quarta-feira, um aumento de 547 em relação…

8 horas ago

Giants apostam em oferta de US$ 360 milhões por Aaron Judge

O San Francisco Giants fez uma enorme oferta de US$ 360 milhões a Aaron Judge,…

8 horas ago

Este site usa cookies.